Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Kelly Clarkson

Kelly Clarkson diz ter sido chantageada pela editora para trabalhar com Dr. Luke

Artista norte-americana diz, no entanto, que o produtor acusado por Kesha de abuso sexual nunca a assediou

A norte-americana Kelly Clarkson diz ter sido chantageada pela própria editora para trabalhar com Dr. Luke, o produtor que foi acusado de abuso sexual por Kesha. Em entrevista a uma rádio australiana, Clarkson disse: "dou-me bem com toda a gente com quem trabalho, mas ele não é um bom tipo para mim".

"Da editora, disseram-me 'não editamos o teu álbum se não trabalhares com ele'", explica a vencedora do primeiro American Idol, dizendo que a situação aconteceu antes de editar o segundo álbum, Breakaway, em 2004.

A colaboração entre Clarkson e Dr. Luke - e Max Martin - resultou em "Since U Been Gone", que se tornou o primeiro grande sucesso do produtor. Em 2009, a cantora voltaria a trabalhar com Luke, novamente pressionada pela editora, no tema "My Life Would Suck Without You".

"Infelizmente, quando tens uma personalidade tão pobre, há muitos artistas que não gostam de ti e não gostam de trabalhar contigo", diz ainda a cantora, "é obviamente um tipo talentoso. Mas mentia muito. Já passei por algumas coisas más. Musicalmente, tem sido difícil para mim porque ele mente às pessoas. E faz com que os artistas fiquem mal vistos. É difícil trabalhar com ele".

No entanto, Clarkson nega alguma vez ter sido assediada por Luke, "ele nunca fez nada disso comigo. Não conheço a situação [da Kesha], mas se for verdade posso dizer que não me imagino a trabalhar com alguém que tenha feito algo desse género".

Recorde-se que quando Kesha acusou o produtor de abuso sexual, Clarkson escreveu no Twitter: "a tentar não dizer nada porque não posso dizer nada de bom sobre uma pessoa... portanto, isto sou eu a não falar do Dr. Luke".