Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Lita Ford, ex-Runaways, conta que Robert Plant a convidou para substituir John Paul Jones

“Não o levei a sério”, diz a guitarrista e cantora, que acaba de lançar uma autobiografia. LIta Ford comenta também a acusação de abuso sexual contra Kim Fowley

Lita Ford, veterana do rock norte-americano e membro das Runaways na década de 70, recordou, em entrevista à Rolling Stone, que em 1975 Robert Plant, dos Led Zeppelin, a convidou para substituir John Paul Jones na banda inglesa.

A propósito da edição da sua autobiografia, Living Like a Runaway, contou Lita Ford: "Não o levei a sério. Pensei: vais substituir um dos meus baixistas favoritos em todo o planeta por uma miúda de 17 anos? Mas estás bêbedo? E virei costas. Encarei [o convite] como um elogio, abracei-o e falámos de música durante algum tempo".

Na mesma entrevista, Lita Ford falou ainda sobre o facto de a sua antiga companheira das Runaways, Jackie "Fox" Fuchs, ter acusado Kim Fowley de a ter violado, enquanto Joan Jett e Cherrie Currie assistiriam.

"Embora fôssemos da mesma banda, eu, a Joan e a Cherie não costumávamos andar juntas. Presumo que acontecessem coisas das quais eu não tinha conhecimento. Com a Jackie até costumava andar, porque as outras miúdas não queriam andar. Nunca me disse nada sobre o Kim lhe ter feito isso. Mas também sei que as raparigas que são violadas ou vítimas de abuso têm medo de o dizer na presença do autor dos abusos", afirma.

"Se o violador estiver preso ou morto, como o Kim Fowley, então sentem-se seguras e sentem que podem falar do que aconteceu. Penso que foi isso que aconteceu com a Jackie. Agora que o Kim faleceu, sentiu necessidade de falar", completa Lita Ford, referindo-se ao produtor e manager das Runaways, que morreu em 2015.