Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Guns N' Roses: É isto um regresso?

Na BLITZ de fevereiro, Filipe Garcia expõe tudo o que se sabe até agora sobre a reunião dos Guns N' Roses. Leia aqui um excerto do artigo

Na BLITZ de fevereiro (capa: David Bowie), dedicamos numerosas páginas ao que aí vem 2016: reuniões, digressões, discos e concertos.

O regresso dos Guns N' Roses é um dos temas em destaque, sobre o qual o jornalista Filipe Garcia se debruça.

Leia aqui parte do seu artigo.

"Com os pormenores por definir, o futuro da nova encarnação dos Guns N' Roses continua completamente envolta em mistério. Se os casos de Led Zeppelin e Rage Against the Machine se revelaram, pelo menos até ver, experiências de curta duração, também já houve quem, depois de uma longa paragem, recuperasse a velha magia. Depois de se tornarem regulares no topo das tabelas de vendas no final da década de 90 e de protagonizarem com os Oasis a mais aguerrida rivalidade da britpop, os Blur pararam em 2004, pouco depois da saída do guitarrista Graham Coxon. Damon Albarn partiu para outros projetos entre eles, os Gorillaz e The Good, The Bad and the Queen e muitos previram a morte da equipa por trás de 'Song 2', ou 'Parklife'. Um engano. Em 2008, os Blur reuniram-se para dois concertos no Hyde Park e o sucesso foi tal que não só seguiram em digressão como este ano até voltaram aos discos de originais com The Magic Whip.

Também os Pixies voltaram à estrada e aos discos depois de um longo intervalo, mas há quem tenha tido sucesso sem nunca se preocupar com nova música.

Quando em 2007 os Police anunciaram a digressão comemorativa dos 30 anos do primeiro disco, há 24 que não lançavam música nova, mas nem por isso deixaram de amealhar uma simpática quantia 3,7 milhões de bilhetes vendidos, uma fatura final superior a 300 milhões de euros. E a história do trio de 'Roxanne' não é muito diferente da dos Guns N' Roses. De um lado, foi Sting quem se afastou de Andy Summers e Stewart Copeland, do outro foi sempre Axl quem ficou com as culpas de a banda se ter perdido entre polémicas, cancelamentos e guerras mais ou menos públicas. E será que a idade o acalmou? Se a reunião indica que sim, também já não faltam sinais de que tudo pode correr mal, muito mal. A fazer jus à fama de ser especialista em cancelamentos, Axl ainda não voltou a cantar ao som da Gibson de Slash, mas já protagonizou a primeira desfeita. Depois dos iscos lançados aos milhões de fãs, da recuperação do velho logótipo da banda ao curto filme que foi exibido nas salas de cinema norteamericanas em que o último Guerra das Estrelas era exibido, o plano passava pela passagem do vocalista no talk show de Jimmy Kimmel para oficializar o regresso."