Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Grimes

Getty Images

Grimes elege os 5 álbuns que lhe mudaram a vida: Beyoncé e Tool estão na lista

Artista canadiana editou recentemente o álbum Art Angels e estreia-se em Portugal este ano com um concerto no NOS Alive

A artista canadiana Grimes escolheu os 5 álbuns que mudaram a sua vida, a convite do serviço de streaming Tidal. A lista eclética é composta por discos de Beyoncé, Tool, Outkast, Panda Bear e Yeah Yeah Yeahs.

Sobre o disco homónimo que Beyoncé editou em 2013, Grimes diz: "adoro o facto de as canções serem todas muito diferentes. E mais, cada uma delas soa muito, muito bem. É muito difícil ter canções tão fortes com vozes melodiosas. Já quase espatifei o carro mais do que uma vez a ouvir este disco".

Aenima, editado pelos Tool em 1996, é outro dos discos escolhidos pela artista: "uma das razões pelas quais tenho interlúdios nos meus álbuns é o facto de os de Aenima serem fantásticos. Este álbum é um puzzle, em termos rítmicos, melódicos... Tão complexo (...) não me aborrece ouvi-lo porque posso ouvir repetidamente e encontrar novas coisas (...) ouço-o regularmente desde os meus 13 ou 14 anos, faz parte de mim. Sinto-me musicalmente inadequada ao lado dele".

Stankonia (2000), dos Outkast, foi o primeiro álbum que Grimes comprou. "Devia ter uns 12 anos ou assim e havia uma mulher nua psicadélica no CD. O meu pai perguntou-me se que queria pôr o CD mas eu estava apavorada porque nunca tinha visto uma mulher nua e sabia que se os meus pais vissem o iam levar. Quando finalmente ouvi o álbum, ele era fantástico, idiossincrático, diversificado em termos sonoros e super estranho".

Sobre Person Pitch, editado por Panda Bear em 2007, Grimes diz: "andei por Montreal com os headphones a ouvir este disco e tinha acabado de começar a fazer música (...) até àquele momento basicamente só tinha feito música estranha sem qualquer noção de escrita de canções. Percebia muito pouco de música, parecia-me um mistério. Mas subitamente toda a música fez sentido e me pareceu tão simples e fácil. De repente, depois de ouvir este álbum uma vez, tornei-me capaz de escrever canções de forma espontânea".

Finalmente, sobre Fever to Tell, disco de estreia dos nova-iorquinos Yeah Yeah Yeahs, editado em 2003, a canadiana recorda: "um amigo meu deu-me uma cassete quando andava no décimo ano ou assim, era o Fever to Tell, mas não escreveu nada no rótulo portanto não sabia que banda era. Pus no meu walkman e fui a pé para casa, da escola, e a minha cabeça explodiu. Vou lembrar-me daquele momento para o resto da minha vida. Foi a primeira vez que ouvi música alternativa de uma banda liderada por uma mulher. Ouvi o álbum durante anos sem saber que banda ou álbum eram. Era um mistério estranho".

Recorde-se que Grimes editou em novembro passado o álbum Art Angels, tendo estreia marcada em palcos nacionais no NOS Alive'16 no dia 9 de julho, mesmo em que atuam os compatriotas Arcade Fire. Veja abaixo o vídeo do mais recente single, "Kill V. Maim".