Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

ESG

Elemento das ESG processa a irmã em 85 milhões de dólares

Deborah Scroggins não está contente com a distribuição de royalties da sua ex-banda

Deborah Scroggins, cofundadora da banda de funk nova-iorquina ESG, processou a irmã (sua ex-colega no grupo) porque considera que os royalties estão a ser mal distribuídos. A baixista diz que lhe devem milhões de dólares, incluindo dinheiro relativo a "UFO", um dos temas mais samplados de sempre.

"Alguém está a fazer dinheiro e eu não estou a receber a minha parte", disse a artista ao jornal Daily News, "sempre me ignoraram completamente". Além de processar Renee (a vocalista das ESG), Scroggins leva também a tribunal as editoras Universal e Fire Records e a Sociedade Americana de Compositores, Autores e Editores, pedindo 85 milhões de dólares (mais de 78 milhões de euros) e o retorno respeitante às masters e honorários pagos aos advogados.

A baixista alega ter sido expulsa das ESG em 1987 por exigir a sua parte do dinheiro e a luta pelo dinheiro começou. Em processos anteriores Renee rejeitou todas as alegações de Deborah, defendendo que não teve qualquer responsabilidade na composição dos temas e dando pouca importância ao seu papel na banda: "ela nunca foi mais do que uma performer de palco remunerada", lê-se em documentos de tribunal de 2012.

As ESG juntaram-se no final dos anos 70 - a formação inicial era composta pelas irmãs Renee, Valerie, Deborah e Marie e o amigo Tito Libran - e têm tido uma existência intermitente desde então - estiveram recentemente em digressão na Europa. "UFO" foi samplada mais de 400 vezes, por artistas como Notorious B.I.G. ou Beastie Boys.