Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

“Psicopátria” faz 30 anos e os GNR vão celebrá-lo com concertos especiais

Certo está, por ora, um concerto no portuense Rivoli, “mas será um desperdício fazer só um espetáculo”, afirma Rui Reininho à BLITZ. Um festival pode estar na calha para evocar o álbum de “Pós Modernos”, “Efectivamente” e “Dá Fundo”

Os GNR vão interpretar, na íntegra, o clássico Psicopátria num concerto agendado para o Teatro Rivoli, no Porto, a 9 de março. O álbum, lançado em 1986, inclui sucessos como "Efectivamente", "Bellevue" e "Pós Modernos".

"É um flic-flac à retaguarda", conta Rui Reininho à BLITZ. "Tivemos uma solicitação do Teatro Rivoli, no Porto, para tocar na íntegra o álbum Psicopátria que, coincidentemente, faz 30 anos". O regresso a um dos álbums mais importantes da carreira dos GNR e da pop portuguesa dos anos 80 não deverá ficar-se apenas por um concerto. "Seria um desperdício", considera Reininho, que acrescenta que "a nossa intenção é fazer até mesmo um formato de festival".

Segundo o vocalista dos GNR, "um Primavera Sound [festival que se realiza no Porto] seria interessante, mas não há nada como sugerir às pessoas. A Patti Smith fez lá o Horses, no ano passado… O álbum tem aquela duração certa de set de festival".

Com o guitarrista Alexandre Soares em rota de colisão, os GNR abraçavam em 1986 um rumo mais pop recompensado pelos resultados comerciais. Psicopátria foi Disco de Prata, prolongando a boa relação com o público cimentada, um ano antes, com o single "Dunas".