Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

O que se sabe da reunião dos LCD Soundsystem

A banda norte-americana irá regressar ao ativo, cinco anos após uma despedida grandiosa.

Dez anos e três álbuns depois, juntamente com uma série de relativos êxitos ("Losing My Edge", "Daft Punk Is Playing At My House", "All My Friends"), os LCD Soundsystem punham um ponto final numa carreira que começou em 2001 e terminou com um enorme concerto de despedida no Madison Square Garden, em Nova Iorque. Assim chegava ao fim uma das bandas mais celebradas da era indie, pioneiros naquilo que se veio a celebrar como dance-punk.

"Chegava" e não "chegou", porque o final de 2015 trouxe consigo uma notícia inesperada. Os LCD Soundsystem vão mesmo voltar ao ativo este ano, confirmando os rumores que começaram a correr na segunda metade do ano passado, e que foram desmentidos categoricamente por Kris Petersen, manager da editora DFA, com uma tirada agora célebre: "os LCD Soundsystem não se vão reunir, seus idiotas". O próprio reconheceu já o seu erro, no Twitter, tendo escrito na véspera de ano novo que aprendeu a lição: "nunca mais tirar conclusões baseadas em sentimentos pessoais".

Quem nada tem dito é a banda, que permanece silenciosa face aos acontecimentos dos últimos dias, salvo para partilhar uma canção de Natal na noite de consoada, "Christmas Will Break Your Heart". Mas já há quem revele o que motivou James Murphy a voltar a mexer(-se) com os LCD Soundsystem, ele que disse, aquando do fim, que estava cansado de digressões e que queria dedicar-se a outros projectos.

De acordo com o website Consequence of Sound, a razão é principalmente monetária: a promotora de espetáculos norte-americana AEG Live, a segunda maior promotora mundial a seguir à Live Nation, terá oferecido um contrato multimilionário à banda para que regressassem. Para além do retorno financeiro, os LCD Soundsystem teriam a oportunidade de atuar como cabeças de cartaz em Coachella, um dos festivais de música mais celebrados dos Estados Unidos, bem como no FYF Fest, organizado pela AEG.

A oferta da AEG não foi, contudo, a única, e muitos outros festivais e promotoras europeias chegarem-se já à frente para garantir a banda nos seus eventos de verão, não se sabendo ainda se Portugal será novamente ponto de passagem para os LCD Soundsystem. Para já, é apenas certo que a banda está de volta e, ao que tudo indica, pronta para a sua segunda vida: posteriormente às digressões, os nova-iorquinos irão editar mais música. Losing my edge? Não, pelo contrário.