Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Festivais

Não gosta de deitar fora as pulseiras dos festivais? Então leia isto

Um conselho para quem se recusa a cortar as pulseiras dos festivais a que vai

Não é raro encontrar um festivaleiro com o pulso decorado por várias pulseiras dos eventos a que foi - mas isso pode, segundo um estudo da Universidade de Surrey, Inglaterra, ser prejudicial para a saúde.

O estudo indica que uma pulseira que não seja cortada pode aglomerar, ao longo de dois anos, uma concentração de milhares de bactérias nocivas.

É certo que a nostalgia e o preservar de certas memórias desempenha um papel importante para quem não corta as pulseiras, mas há conselhos para quem queira guardá-las devidamente - e manter-se são.

Emoldurá-las e tapá-las com um vidro, transformá-las em adereços ou cosê-las às roupas são uma óptima forma de preservar essas memórias, bem como colocá-las na árvore de Natal ou, para quem não quiser retirá-las do pulso, cortá-las e voltar a atar as duas pontas com um fio, de forma a que possam ser removíveis. E sem germes.