Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Playlists

Um saudoso regresso a 1984: a primeira “Lista Rebelde” de António Sérgio

O número 1 do jornal BLITZ, há 33 anos, trouxe à estampa a primeira de muitas listas “alternativas” aos grandes topes, saída diretamente do programa de rádio “Som da Frente”. Ouça aqui a seleção e leia o manifesto do “mestre” António Sérgio

Pronto para uma viagem no tempo? Aterremos no número 1 do jornal BLITZ, página 15, 6 de novembro de 1984:

"Em 1980, 81 e 82, a 'Lista Rebelde' desfilou tanto no "Rolls Rock" como na 1ª fase do 'Som da Frente', servindo de negativa e simultâneo lenitivo aos sempre iguais 'tops' de pseudo-referências e vendas do produto fonográfico. A certa altura, o responsável dos programas em questão resolveu parar. Um descanso e um aproveitamento. Para o fôlego e para o repensamento. Na altura em que Outubro de 84 se aproximava, e com ele as inevitáveis "febres" de nova programação, o "Som da Frente" relançou a "rebelde", espevitando a participação dos "não-alinhados" e tendo como resposta uma avalancha de gente com o devido bom gosto! A 'Lista Rebelde" voltava a solicitar a formação dum 'caldeirão' de temas, elaborado pelas nomeações dos ouvintes com o limite único (e terminante) de contarem para o efeito temas desde 1980. Para além de se ter chegado facilmente aos 500 e tal que constituem o "caldeirão", as achegas ao modo de funcionamento da lista foram tão instantes que o 'som...' decidiu-se pelo rigoroso cumprimento das mais importantes. Daí resulta a maior rebeldia. Os temas preferidos e por isso votados de Norte a Sul são passados calmamente de um dia até ao fim, negando a estratégia dum vulgar top de repetição. Quem ouve o 'Som da Frente' quer, definitivamente, que ali aconteçam coisas diferentes. O BLITZ dá uma (preciosa) ajuda!"

Nota: incluída na lista original está também "7000 Names of Wah!", dos Wah! Heat, que não faz parte do catálogo disponibilizado pelo Spotify.

  • António Sérgio: A Voz da Frente

    Notícias

    Numa altura em que passam seis anos da morte do importante radialista e divulgador, recuperamos um artigo publicado na edição de dezembro de 2009 da BLITZ em que Rui Miguel Abreu conta a história da vida do Mestre.