Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Opinião

Chastity Belt

5 malhas indie para um fim de semana mais airoso

Nem caos, nem destruição, nem patifarias similares. Aqui fica uma mão cheia de sugestões para encarar o sol

Ainda mal refeitos do excelente City Sun Eater in the River of Light, lançado no ano passado, somos presenteados agora com o anúncio de novo tomo dos indispensáveis Woods. "Love Is Love" é uma noite quente (se possível com uma sardinhada antes).

Entra o baixo com os pratos, segue-se a guitarra dengosa mais suculenta deste fim de março do ano da graça de 2017. E depois a voz, maviosa. Quase sete minutos de abraço contínuo interrompido quando a banda se lembra que deixou o almoço no lume.

Tiremos já o elefante da sala: Angel Olsen canta parecido (ou vice-versa). Mas isto é demasiado bom para ficar arrumado na gaveta do "é tipo aquilo". Molly Burch, de Los Angeles, pinta com as cores primárias do baile 50s o "ser errado para ti". Está certo.

Sky Ferreira tem uma luz que ultrapassa a sua projeção. Talvez seja a velha questão do potencial que existe, mas não sabemos se dará nalguma coisa. Mas não sejamos chatos: aqui talvez seja só a forma como canta "yeah it's just a bitchhhhh" com os Jesus and Mary Chain. Chega.

Então sou só eu a gostar de Chastity Belt?