Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Opinião

Parabéns, Zé Pedro! E obrigado

Zé Pedro faz hoje 60 anos. “É só rock'n'roll mas eu gosto” pode ser uma frase batida. Mas é aquela que Zé Pedro, o rocker sobrevivente, traz escrita numa medalha pendurada ao pescoço e que, passados todos estes anos, soube cumprir até hoje. Muito provavelmente, ninguém o poderia fazer com tanta propriedade como ele.

EM 1984, quando foi publicado o primeiro número do BLITZ, havia um fenómeno que crescia subterraneamente e que viria a eclodir pouco depois. Chamava-se Xutos & Pontapés e foi acompanhado, a par e passo nas páginas do jornal e, mais tarde, desta revista.

Passaram mais de trinta anos e a importância que então atribuíamos aos Xutos manteve-se. Não há outro fenómeno assim na música urbana em Portugal. Nem, estou certo, poderá acontecer algo assim, outra vez. Porque os Xutos & Pontapés, e junto a BLITZ a esta história, existiram e acontecem num determinado contexto, em condições específicas que não se irão nunca repetir.

Com eles, assistimos ao crescimento da profissionalização da música e das suas indústrias, acompanhando um processo que começou com uns poucos para se transmitir a tantos. Eles não foram os únicos mas são, muito provavelmente, aqueles que representam desde o princípio até ao fim esse processo capaz de inventar uma banda de rock'n'roll em Portugal, descobrindo que aqui, algures no fim do século XX e no início do século XXI também era possível fazer acontecer essa coisa que não vale nada mas que ainda nos emociona.

«É só rock'n'roll mas eu gosto» pode ser uma frase batida. Mas é aquela que Zé Pedro, o rocker sobrevivente, traz escrita numa medalha pendurada ao pescoço e que, passados todos estes anos, soube cumprir até hoje. Muito provavelmente, ninguém o poderia fazer com tanta propriedade como ele. Com toda a certeza, só a ele esse conhecido adágio dos Rolling Stones não soa a pretensiosismo. Por essas e por mil outras razões, é com uma enorme satisfação que celebramos o 60º aniversário do mais icónico rocker português, com a confiança de que devemos comemorar, sempre, a vida e todas as lições que ela nos ensina. Na última página da entrevista de fundo que hoje publicamos com o guitarrista dos Xutos & Pontapés, a razão desta entrega está, penso que pela primeira vez, escrita preto no branco.

O segredo deste sucesso é dar para receber. E se não existe nada mais simples, tudo afinal se pode complicar ao longo de uma existência que se aproxima das quatro décadas. É só isso e já não é pouco que nos leva a continuar o caminho que José Pedro dos Reis e outros abriram. Para que aqui se possam desvendar os sonhos e os pesadelos dessa enorme partilha que se chama música. Ao fim de todos estes anos, poder dar os parabéns ao Zé Pedro é uma coisa que pode parecer ínfima. Mas é isso que vale a pena e se transforma em algo enorme quando temos o privilégio de o acompanhar nesta longa jornada. Parabéns! E obrigado.

Editorial originalmente publicado na BLITZ de setembro, nas bancas

  • ZÉ PEDRO NA CAPA DA BLITZ DE SETEMBRO, JÁ NAS BANCAS

    Notícias

    Damos os parabéns ao guitarrista dos Xutos & Pontapés no mês em que completa 60 anos. A antecipação do novo álbum de Nick Cave e entrevistas com Biffy Clyro, Disclosure, De La Soul e Jamie Cullum são outros dos destaques do novo número da BLITZ, que traz como oferta o CD À Sombra do Cristo Rei, novo projeto de Tim que homenageia a música de Almada

  • Nick Cave: para lá da dor

    Opinião

    Quem estava preparado para levar um murro no estômago com o novo documentário de Nick Cave pode, desde já, contar com uma dilacerante facada no peito

  • Bye bye YouTube!

    Opinião

    A plataforma de vídeo streaming da Google está a ser batida sem apelo nem agravo pelo Spotify, Apple Music e Tidal. O mundo está mesmo a mudar

  • Festivais 2.0 precisam-se

    Opinião

    Os festivais de verão, tais como os conhecemos, chegaram a um ponto de amadurecimento tal que exigem mudanças Mais tarde ou mais cedo vão ser necessárias novas fórmulas e novos conceitos