Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Opinião

“Stranger Things”: êxitos batidos dos anos 80 numa série cool

Toda a gente fala da nova série de terror e mistério do Netflix. As memórias dos anos 80 vêm à tona, sim senhor, mas a música - essa - já a ouvimos mil vezes

O mote é irresistível para quem, como eu, vai quase nos 40: a infância nos anos 80 do século XX. Mistura de livro de Stephen King, E.T., Super 8 (o filme que, por sua vez, já “trabalhava” sobre a nostalgia desses tempos), com um nadinha das películas de John Hughes (a personagem Barb caberia em Dezasseis Primaveras), Stranger Things é um achado.

Por aqui vai-se no quarto episódio (calma, não haverá spoilers) e, sem intrigar como um Les Revenants ou recorrer ao cliffhanger como Bates Motel, a satisfação é alta. Terror e mistério em televisão não é coisa fácil (veja-se o pastelão em que se tornou Wayward Pines), mas Stranger Things tem uma vantagem: um património à disposição.

A música torna-se, desde logo, recurso inestimável. E é precisamente aqui que Stranger Things poderia ser muito melhor: apela ao reconhecimento imediato, atira-se ao hit radiofónico da época (a série aponta para 1983) ou à canção que a memória eternizou como "clássica", em vez de nos incitar a pegar no Shazam ou vasculhar na web a letra de uma canção menos óbvia. Não vamos, aqui, descobrir o que quer que seja; vamos recordar música com a qual a maioria das pessoas já tem uma relação (falo, é certo, de barriga cheia; onde, noutro exemplo de ficção televisiva, se ouvirá Joy Division, mesmo que através de uma canção previsível?).

Nos primeiros quatro episódios - em que se ouve, por exemplo, a batidíssima "Africa", dos Toto - perceber-se-á a relevância de uma certa música dos Clash. É pena que se trate, precisamente daquela canção que um fã dos Clash provavelmente desejará deixar descansar uns tempos (sabemos qual é, certo?). Uma série de culto será o suficiente para que seja vista sob uma nova luz? Ou estarei apenas a ser mal agradecido? O melhor será ver os próximos quatro episódios.