Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Opinião

Que grande 31!

'Quando temos a felicidade de assistir às mais profundas alterações no universo da música desde que esta se fez indústria, uma festa era pouco. É por isso que nessa celebração será apresentada uma nova editora digital', escreve Miguel Cadete no editorial da BLITZ deste mês. Leia-o na íntegra.

Não creio ter passado pela cabeça de nenhum dos fundadores que a marca BLITZ pudesse algum dia ultrapassar as três décadas de existência. Mas é o que vai suceder esta semana quando tivermos completado 31 voltas em torno do Sol. Não vamos parar. Depois da radical transformação de um jornal semanal em revista mensal, em junho de 2006, iniciaremos este novo movimento de translação com mais projetos inovadores. Claro que iremos celebrar. Marque o dia 5 de novembro na sua agenda. É nessa data que festejaremos o 31.º aniversário da BLITZ, no Musicbox, ao Cais Sodré, em Lisboa, com atuações de três brilhantes projetos de artistas portugueses: Diabo na Cruz, Frankie Chavez e Prodígio. Não creio, porém, que isso chegue. Quando temos a felicidade de assistir às mais profundas alterações no universo da música desde que esta se fez indústria, uma festa era pouco. É por isso que nessa celebração será apresentada uma nova editora digital. Não creio que o pudéssemos fazer isoladamente. E daí a parceria com a Sony Music, que connosco se envolverá na missão de publicar algum do talento mais brilhante que desponta em Portugal, desta feita exclusivamente em plataformas digitais como o Spotify, YouTube, iTunes ou Apple Music. Não creio que outra marca de media em Portugal o pudesse fazer com a mesma legitimidade ou sequer autoridade. Até porque esta é a continuação lógica de um trabalho que vem sendo feito há anos, senão mesmo desde o primeiro número do jornal, publicado no tal distante mês de novembro de 1984. No editorial aí plasmado afiançávamos ir em busca das mais entusiasmantes aventuras da música contemporânea. Vamos continuar. Não creio que nunca o tivéssemos deixado de fazer. Mas sei que esta é a hora para renovar esse objetivo e voltar a colocar a marca BLITZ no lugar de onde, afinal, nunca saiu. Obrigado pela preferência, Miguel Cadete Diretor BLITZ